Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Campina do Simão tem, sim, 50% de mulheres em secretarias municipais

Campina do Simão tem, sim, 50% de mulheres em secretarias municipais

Secretárias de Educação, Assistência Social, Meio Ambiente e Saúde (Fotos: Reprodução/Redes sociais)

Com mais de 208 milhões de habitantes, sendo 52% de mulheres e 48% de homens, o Brasil apresenta dados elevados de desigualdades de gênero. A renda média de mulheres é de R$ 2.050 enquanto a de homens é de R$ 2.579. Enquanto no mundo, cerca de 23,5% de mulheres estão no parlamento nacional; no Brasil, a representação política das mulheres é de 15% para a Câmara dos Deputados e 14,8% para o Senado.

Alterar essa realidade desigual e alcançar oportunidades e direitos iguais são propósitos da iniciativa internacional ‘por um planeta 50-50 em 2030’. Ou seja: um passo decisivo pela igualdade de gênero, elaborada pela ONU Mulheres. A iniciativa é apoiada por mais de 90 países, entre os quais o Brasil, com enfoque na Agenda 2030.

Na região de Guarapuava, Campina do Simão dá um exemplo. O município que fica a cerca de 70 quilômetros de Guarapuava, conta com uma gestão municipal com oito secretarias. Destas, 50% são compostas por mulheres. Ou seja: o prefeito André Junior de Paula (PSD), já trabalha para construir um mundo de trabalho distinto para as mulheres. Todas foram escolhidas, não para pautar discurso ou criar fato político, mas pela competência.

Prefeito André e secretárias (Foto: Arquivo pessoal)

“Só estamos reconhecendo a força e a competência que essas mulheres exercem na administração do município”. Elas comandam as secretarias de Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e Saúde. Com essa atitude, o prefeito contribui para mudar uma realidade desigual. É tão simples: basta ter uma visão ampla que ofereça oportunidades e direitos iguais. Afinal, esses são propósitos da iniciativa internacional ‘por um planeta 50-50 em 2030’.

Mas não é apenas isso. É sobre igualdade salarial em todas as áreas e cargos; é sobre aumento de vagas em creches. É também sobre transversalização de gênero. É sobre contemplar e respeitar as mulheres, com as diferenças. E aí incluo a classe, raça, etnia, cultura, localização geográfica, estado civil, religião, orientação sexual e identidade de gênero, idade e nacionalidade. É sobre segurança, educação, saúde pública. Enfim, é sobre dar o primeiro passo, como faz o prefeito André, em Campina do Simão.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo