Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Cristina Silvestri gosta de ir onde o povo está

Cristina Silvestri gosta de ir onde o povo está

Cristina Silvestri na Festa do Milho em Palmital (Foto: Divulgação)

Onde está o povo é lá mesmo onde a deputada Cristina Silvestri (PSDB) vai. Conforme a agenda da parlamentar, ela dedicou o fim de semana para prestigiar uma festa bem brasileira. Ela esteve em Palmital na Festa do Milho. “Estive lá nesse sábado (3) prestigiando os shows, saboreando comidas deliciosas e, principalmente, reencontrando grandes amigos”.

A deputada agradeceu o vereador João Kanarski, secretário  de Agricultura, Nivaldo, o prefeito Ney, primeira-dama Silvânia, o vice-prefeito, Roberto Rossi. Também as secretárias de Esporte e Cultura, Acácia, de Educação, Eva, Saúde, Cheila, empresário Erondi e Antônio Carlos.

PELA CAUSA ANIMAL

Prefeito Celso Góes (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Já o prefeito de Guarapuava, Celso Góes pediu a união de pessoas que têm a causa animal no foco das atenções. Durante a reunião desta terça (5), na Secretaria de Meio Ambiente de Guarapuava (Semag), Celso lançou o Programa de Proteção Atenção e Tratamento Animal (Pata).

No lançamento, três vereadores assumiram a causa: Dognei, Bia Neves e Marcio Carneiro. Mas cá entre nós: foi um tal de um defender o outro sobre a autoria dos cuidados com os animais, principalmente, com os cães, que a vereadora continuou na dela.

E DÁ-LHE PULGA!

(Foto: Arquivo/RSN)

Aliás, uma frase que veio a calhar numa conversa informal entre a professora Bia e a coordenadora de uma ONG. A vereadora disse que vem ‘jogando pulga’ porque só assim os demais se coçam. Ela fez uma analogia entre as provocações que faz para que outros se mexam.

ARTAGÃO JR VISITA PENITENCIÁRIAS

(Foto: Ascom/Gabinete Parlamentar)

O deputado Artagão Júnior (PSD) visitou a Penitenciária Estadual de Guarapuava – Unidade de Progressão (PEG-UP). Na rota também estava a Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG). Conforme a agenda, o parlamentar ele esteve acompanhado dos diretores Paulo Bilek (PEG), da PIG, Renato Silvestri e do chefe das cadeias, Américo Dias Pereira, além de outros servidores prisionais.

Artagão conversou com o Grupo de Segurança Interna (GSI), setor responsável pela movimentação dos presos dentro das unidades. Também esteve nos canteiros de mão de obra e discutiu questões referentes ao processo de trabalho e estudo por parte dos detentos, atividades que colocam a regional de Guarapuava como referência no Paraná.

Presos em atividade (Foto: Ascom/gabinete parlamentar)

De acordo com o diretor da PEG-UP, atualmente há 12 empresas privadas conveniadas com o Departamento de Polícia Penal do Estado do Paraná (Depen). “São contratações internas e externas, que é o caso da PEG-UP, onde os presos saem para trabalhar na rua, devidamente classificados”.

Atualmente, são 407 presos trabalhando e recebendo 75% do salário mínimo. Desse total, conforme o diretor, 185 trabalham fora em empresas parceiras. Outros 53 trabalham na manutenção das unidades. Da soma de 1.144 presos, 919 são atendidos (80%). Assim, são 566 matriculados no ensino normal; 222 na remição por leitura; 50 fazem curso de qualificação em teologia. Outros 71 fazem qualificação em gestão de empresas. E 10 estão no ensino superior.

LULA TRANQUILIZA O AGRONEGÓCIO

Lula (Foto: Ricardo Stuckert)

Em entrevista ao vivo na manhã de hoje (5) à Rádio Lagoa Dourada, de Ponta Grossa, o ex-presidente Lula, disse que manteve uma boa relação institucional com os responsáveis pelo agronegócio brasileiro. O ex-presidente lembrou de medidas tomadas no governo dele, e que ajudaram a financiar e modernizar a produção de alimentos no país.

Lula afirmou também que o agronegócio, toda vez que quiser conversar ele, sabe que tem interlocutor. “Fiz a MP 432, de 2008, que a gente fez o financiamento. Era uma dívida de quase R$ 89 bilhões. Graças àquele projeto de securitização da dívida, da produção agrícola brasileira, a gente salvou a agricultura brasileira. Pode perguntar para qualquer agricultor que ele sabe disso”.

No tempo que era presidente, conforme Lula, “eles compravam uma máquina dessa que você vê plantando e colhendo, com juros de 2% ao ano, financiada pelo Finame. Agora não tem Finame, então se quiser dinheiro emprestado, eles pagam 14%, 18%”.

MAPA DA FOME

Por fim, Lula destacou que o fim de importantes medidas, como o estoque regulador de alimentos da Conab levou à situação atual da volta do país ao Mapa da Fome da ONU. “A fome chegou na casa de 19 milhões de pessoas. Nós temos 116 milhões de pessoas com insegurança alimentar. Nós tínhamos estoque regulador na Conab. E não temos mais. Olha como está o preço do feijão, olha como está o preço do arroz”.

O MST

Para o ex-presidente, a relação com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) não deveria preocupar os empresários do setor agrícola. De acordo com Lula, os sem-terra não têm histórico de invadir terra produtiva.

“As terras que os sem-terra ocupavam eram fazendas improdutivas. E eles tornavam produtivas. Como estão vendo agora, o MST é o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. Os sem-terra hoje têm dezenas de cooperativas vendendo e produzindo bem”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo