Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Mandato Coletivo da Juventude busca a representação de jovens na Alep

Mandato Coletivo da Juventude busca a representação de jovens na Alep

Candidatos a co-deputados pelo Mandato Coletivo da Juventude (Foto: Mayara Maier/Portal RSN)

Indignados com a falta de representatividade dos jovens na política, lideranças jovens do Paraná, de várias Regiões, lançaram uma candidatura coletiva para as Eleições de 2022. O Mandato Coletivo da Juventude (Republicanos) quer garantir uma vaga para a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Dessa forma, eles pretendem buscar um mandato democrático, menos personalista e mais coletivo, pautado na juventude. Mas, principalmente, querem o fim do familismo na política paranaense. De acordo com o representante do Mandato na urna, Marcos Costa, no Paraná ainda há traços de monarquia, imperando a eleição e reeleição de pessoas da mesma família durante décadas.

“Nós queremos incentivar o jovem a ter mais consciência em quem tá votando, pois a política tem passado de pai para filho durante gerações. Nosso foco é expandir e renovar, não estamos fazendo pela gente, o foco é a juventude”.

Formado por 16 jovens, três mulheres e 13 homens, o Mandato Coletivo da Juventude tem um representante na Região de Guarapuava. O candidato a co-deputado Sidoni José Martins mora em Pinhão e representa a Região na candidatura.

Conforme ele, o foco vai ser melhorar os investimentos em Saúde, trazendo mais clínicas para essa parte do estado. Além de dar mais atenção a municípios como Candói e Reserva do Iguaçu e buscar a instalação da Caixa Econômica Federal em Pinhão. Ele também fala de propor projetos para a construção de uma nova rodovia que ligue Guarapuava à União da Vitória.

Representantes do mandato estiveram nesta semana no Portal RSN (Foto: Mayara Maier/Portal RSN)

Propostas

Entre as principais propostas do Mandato estão a criação da Secretaria Estadual da Juventude e a fixação de uma taxa de 15% para as empresas de aplicativos de transporte. Bem como a volta dos trens de passageiros, a defesa dos conselhos municipais e estaduais e a expansão de projetos de saúde feminina para todos os municípios do Paraná.

Eles também pretendem ter uma comunicação direta, por meio do site e redes sociais, com os jovens paranaenses para que todos possam participar do Mandato. Isso porque, segundo eles, todos os membros da candidatura fizeram parte de movimentos sociais e estudantis, além de serem atuantes em projetos voluntários por todo o estado.

Para a candidata a co-deputada Camila Córdova, eles buscam fazer uma “conscientização de formiguinha” para democratizar as eleições e trazer mais jovens para o espaço político. Assim como trazer mais transparência, ouvir os problemas, “para que o jovem goste da política”.

O que é um Mandato Coletivo?

De acordo com os membros do Mandato Coletivo da Juventude, nesse modelo, um político tem o CPF cadastrado como candidato e se compromete a dividir o gabinete e mandato com mais pessoas segundo determinadas regras. Cada membro do grupo que divide o cargo tem a missão de ser um canal direto da sociedade no poder público, somando as capacidades em cada área e agregando ao mandato múltiplas perspectivas e diferentes saberes.

*Reportagem escrita pela jornalista do Portal RSN, Mayara Maier. 

Leia outras notícias no Portal RSN.

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo