Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » MDB aprova ‘tucana’ como vice de Tebet para a sucessão de Bolsonaro

MDB aprova ‘tucana’ como vice de Tebet para a sucessão de Bolsonaro

Senadoras Simone Tebet e Mara Gabrilli (Foto: Reprodução)

O PSDB anunciou nesta terça (2), por volta das 11h o nome da senadora Mara Gabrilli de 54 anos, como vice na chapa encabeçada pela também senadora Simone Tebet (MDB). De acordo com os emedebistas, a decisão ocorreu após conversa entre elas e os presidentes dos três partidos da aliança – Baleia Rossi (MDB), Bruno Araújo (PSDB), Roberto Freire e o senador Tasso Jereissati (PSDB).

Esta é a primeira vez que as eleições à presidência contam com uma chapa majoritária só de mulheres. Conforme a federação, trata-se de uma maneira de devolver ao Brasil a alegria da vida pública. Ou seja, é uma referência ao bom senso e à maneira que as mulheres olham e fazem política. Ainda mais num momento em que o país passa por uma situação caótica de violência, censura, ameaças de golpe, entre outras truculências.

Mara é publicitária e psicóloga. É também ativista em defesa das pessoas com deficiência. Em 1994, ela sofreu um grave acidente de carro e ficou tetraplégica. Três anos depois, fundou a ONG Projeto Próximo Passo, que trata sobre acessibilidade e apoia pesquisas para cura de paralisias. Possui também projetos de inclusão social para atletas com deficiência. Em 2007, a ONG se transformou no Instituto Mara Gabrilli.

Aliás, a chapa com duas mulheres também passa pelo PSTU. Vera Lúcia e a indígena Kunã Yporã também protagonizam candidatura à presidência e vice.

Nem aí

Sergio Moro (Foto: Fabio Rodrigues Pazzebom/Agência Brasil)

O ex-juiz federal Sergio Moro subestimou a importância do governador Ratinho Junior durante a convenção do União Brasil. Foi nesta terça (2) em Curitiba. “A gente não precisa do governador para ser um grande partido. Eu não preciso do governador para colocar minha candidatura. Respeito a preferência dele [Ratinho Junior]. O União Brasil está na coligação do governador, estamos ajudando na reeleição, mas caminhamos de forma independente para construir um Paraná melhor para cada pessoa”.

Essa declaração, no entanto, é dada após o governador declarar apoio ao deputado Paulo Martins (PL), que é o preferido pelo presidente Bolsonaro. Ratinho Junior deixou de comparecer à convenção do União Brasil. Foi substituído pelo secretário Ortega.

Aplausos domésticos

Celso Góes, prefeito de Guarapuava (Foto: Secom/Prefeitura de Guarapuava)

Secretários municipais, comissionados e vereadores aplaudiram o discurso do prefeito Celso Góes (Cidadania) na Câmara Municipal. Ele esteve lá na sessão dessa segunda (1º), quando houve a abertura do período legislativo após um recesso de meio do ano. Ao público, o prefeito falou sobre o programa de pavimentação asfáltica que começou ontem. Tratou do Projeto de Lei Complementar encaminhado para votação.

Esse projeto dispõe sobre o cumprimento da Lei de pagamento do piso para os Agentes Comunitários de Saúde e, de Agente de Combate às Endemias. Disse também que está fazendo história pelo título recebido como ‘Prefeito Empreendedor’. Os ex-prefeitos Vitor Hugo Burko, Fernando Carli e Cesar Filho também receberam o título. Por fim falou sobre a união entre a administração e os vereadores.

Bem que tentaram

Ademar Traiano, presidente da Alep (Foto: Arquivo/RSN)

O governador Ratinho Junior se manifestou contrário ao projeto que traria ao Paraná lixo de outros estados. A voz do governador ressoou na Assembleia legislativa e ouve um recuo na decisão inicial da maioria dos deputados. Estes derrubaram os vetos de Ratinho Junior no projeto de autoria do deputado estadual Tião Medeiros (PP). Ocorre que entre as empresas que trabalham com o tratamento de lixo, uma tem como sócios os filhos do presidente Ademar Traiano e do deputado Plauto Miró.

Entretanto, com a repercussão negativa o presidente da Alep voltou atrás, mas disse que a iniciativa é decorrente de distorções. Em nota lida por Traiano na sessão dessa segunda (1º) diz que “a Assembleia decide pelo não recebimento de resíduos sólidos urbanos e industriais de outros estados”.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo