Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Nem na matemática política a conta fecha

Nem na matemática política a conta fecha

Cesar Filho (Foto: Arquivo/RSN)

Declarações que vêm sendo feitas pelo pré-candidato ao Governo do Estado, Cesar Silvestri Filho (PSDB) têm gerado críticas por parte de jornalistas paranaenses. A última delas ocorreu em entrevista concedida à Band B nesta semana. Como vem fazendo desde o dia seguinte ao voo derrapante no ‘ninho tucano’, o ex-prefeito de Guarapuava, não poupou críticas ao governador Ratinho Junior que, aliás, já foi ‘fiel companheiro’.

Entre as críticas, ele classificou o governo como autor de “uma propaganda, de certa forma com apelo midiático, mas que dizem muito pouco respeito às pessoas, que têm pouco a ver com as necessidades da população”. Em outra afirmação disse que o governador assumiu um a gestão sendo inexperiente. Ele se refere à crise na segurança pública com os ataques a Guarapuava na noite de 17 de abril último. Após esse episódio, o então secretário Coronel Rômulo Marinho Soares acabou sendo exonerado. Também trata da possível greve do transporte coletivo, marcada para esta quinta (12), em Curitiba.

Entretanto, o que mais chamou a atenção da mídia, foi o fato de dizer que basta que ele ou outro adversário de Ratinho Junior cresça 1% nas pesquisas para que a eleição seja levada para o segundo turno. Bem, não faltam matemáticos de plantão para dizer que essa projeção está errada e que se trata de ‘fake news’. De acordo com o jornalista Fernando Tupan, nos dois levantamentos feitos no Paraná e que estão registradas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), César Filho aparece “patinando com apenas 3% de intenção de votos”.

Conforme a última pesquisa de intenções de votos divulgada em 4 de abril deste ano, pelo IRG, Ratinho Junior sai à frente em todos os possíveis cenários. A ‘lavada’,  começa com 53% das intenções de voto. Ou seja, soma  bem mais que o dobro do segundo colocado, Roberto Requião (PT), com 21,5%. Flávio Arns (Podemos) soma 8,6%, Cesar Silvestri Filho (PSDB), 3,9%; e a Professora Angela Machado (Psol), 1,6%. Nenhum somou 8,3% e não sabe/não respondeu, 5,1%. Num cenário, sem Flávio Arns, Ratinho Junior amplia a vantagem com 57,3%. Depois vem Requião (23,7%) e Cesar Silvestri Filho (5,8%), nenhum (10,6%), não sabe/não respondeu (2,6%).

Num segundo turno com Requião, Ratinho Junior tem 61% e o petista, 25%; nenhum (10,6%) e não sabe/não respondeu (2,7%). Com Silvestri Filho, Ratinho Junior tem 66,4% e o tucano, 12,7%; nenhum (17,1%); e não sabe/não respondeu (3,9%). O IRG entrevistou 1,5 mil eleitores entre os dias 31 de março e 3 de abril. A margem de erro é de 2,5% e o grau de confiança, 95%.

Como pode ser observado nem na matemática política a conta não fecha. Além disso, como a própria Banda B avaliou, Cesar Filho é pouco conhecido do eleitorado paranaense. É claro, todavia, que Guarapuava seria privilegiada com a eleição de um guarapuavano no Governo. Mas tudo indica que ainda teremos que pisar muito chão para essa conquista.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo