Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Para a alegria de uns e o ‘ranger’ de dentes de outros

Para a alegria de uns e o ‘ranger’ de dentes de outros

Walter Delgatti (Foto: Senado Federal)

Para a alegria da esquerda e o pesadelo da direita – pra não fugir da máxima de que estamos vivendo num país com divisão ideológica – a prisão do ex-presidente Bolsonaro se torna cada dia mais real. E isso ficou mais certo ainda com os depoimentos do ‘hacker’ Walter Delgatti. Ele não apenas fez acusações à CPI dos Atos Golpistas, como desafiou ex-presidente a encará-lo. Conhecido como ‘Hacker de Araraquara’, ele está preso desde 2 de agosto. Delgatti é alvo de investigação que apura a inserção de dados falsos contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, no Banco Nacional de Monitoramento de Prisões do Conselho Nacional de Justiça.

Durante o depoimento nesta quinta (17) o hacker abriu a ‘caixa preta’. Contou também que o ex-presidente pediu que ele tentasse fraudar as urnas eletrônicas. Em troca, ofereceu um indulto para que não fosse punido pela fraude. “Fique tranquilo, se algum juiz te prender, eu mando prender o juiz’. E deu risada”, contou Delgatti sobre o diálogo com Bolsonaro. Isso é apenas uma ponta do iceberg que tende a se agravar caso haja a acareação entre os dois. Se Bolsonaro diz que o ‘hacker mente e fantasia, este aceita o confronto ‘cara a cara’.

Mas, por enquanto, a verdade é que Delgatti derrubou a blindagem que havia em torno do ex-presidente contra possíveis crimes. Essa vulnerabilidade coloca Bolsonaro e sua trupe em pânico. Mesmo porque ele também vem sendo acusado de chefiar um esquema de desvio de joias e relógios pertencentes à União para vendê-las no exterior. E as provas se avolumam.

Queiram ou não, ou sob aplausos de uns e o ‘ranger de dentes de outros’, se o ‘hacker’ tiver provas do que fala, as portas da prisão se abrem para Jair. Conforme o artigo 359-L do Código Penal, a julgar por tudo o que está vindo à tona, há a configuração de tentativa de abolição violenta do Estado Democrático de Direito. Já pelo artigo 359-M, do mesmo Código, trata-se de crime de tentativa de golpe de Estado. E ainda, no artigo 228, que trata de associação criminosa. Pois é. Podemos ter aí mais um ex-presidente preso.

BALANÇA E PODE CAIR

E como bom ‘filho da pátria’, aquele que não foge à luta’, o senador Sergio Moro tentou defender o ex-presidente e atacou o ‘hacker’. Mas sobrou também para o ex-juiz. “Li as conversas de Vossa Excelência, li a parte privada”. Moro não ficou calado e chamou o hacker de “bandido” e insinuou que Delgatti é um criminoso que praticava estelionato em série. Delgatti rebateu. “Eu li as conversas de vossa excelência e posso dizer que o senhor é um criminoso contumaz”.

De acordo com analistas políticos, se inicialmente a impressão era que Moro queria defender Bolsonaro, agora a análise é outra: ele tenta desqualificar o ‘hacker’ para tentar salvar a própria pele. Isso também para a alegria de muitos e o terror de outros.

Leia outras notícias no Portal RSN.

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo