Cristina Esteche

Compromisso com o leitor

Início » Samuel e Carli convidam para adesivaço neste sábado

Samuel e Carli convidam para adesivaço neste sábado

Samuel Ribas Abreu (Foto: Arquivo/RSN)

E agora chegou a vez do candidato a deputado estadual Samuel Ribas (União) fazer um adesivaço. Ele e o ex-prefeito Fernando Carli convidam pra mobilização neste sábado (10), às 10h no Calçadão da XV de Novembro.

Alvaro quer os votos, mas esconde o companheiro

Alvaro Dias (Foto: Divulgação)

O candidato  à reeleição ao Senado Alvaro Dias pode receber multa diária de R$ 10 mil. Isso porque o juiz Roberto Aurichio Junior, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) mandou interromper veiculações com propagandas irregulares veiculadas pelo candidato à reeleição. Se ele descumprir vai ter que desembolsar uma  boa grana. Ocorre que, conforme o TRE, o candidato quer o apoio e os votos, mas omite a chapa e os suplentes  do PSB nos materiais de campanha. O Partido Socialista Brasileiro faz parte da  federação ao lado do PSDB/CDN/Pode/PSC e ainda o Patriota.

Parou de chover e eles foram às ruas

Carreata (Foto: Cristina Esteche)

Em Guarapuava, tão logo a chuva deu uma trégua, bolsonaristas saíram em carreata. A concentração começou em frente ao Parque de Exposições Lacerda Werneck, seguindo pela Avenida Manoel Ribas. Da XV de Novembro a fila quilométrica seguiu para outras regiões da cidade. Por fim, houve uma concentração na Praça Cleve.

Dinheiro desune a galera do União Brasil

Deu ruim no União Brasil paranaense. E adivinhem qual foi a causa? O rateio do fundo partidário. O ‘quiprocó’ envolve o deputado estadual Plauto Miró e a Família Francischini. Conforme noticiou o jornalista Angelo Rigon, do Maringá News, Plauto Miró ocupou a tribuna numa das sessões da Assembleia e disparou a artilharia taxando os mandatários do Partido como “pilantras”.

Disse também que fará campanha sem fundo eleitoral e partidário. De acordo com  o deputado, a Família Francischini comanda o partido e “faz o que bem quer com a sigla partidária. Não escutam ninguém o que  transforma o fundo eleitoral numa grande negociata”. Segundo ele, o partido é “muito mal dirigido”. Disse também que sente “saudades da velha política, que não tinha essa putaria que virou a política brasileira”.

Assim como Plauto, os deputados Nelson Justus e Nelson Luersen também não receberam recursos do fundo partidário. Já, segundo o TRE, os eleitos pelo PSL em 2018, incluindo os que foram cassados ‘abocanharam’ entre R$108 mil e R$ 180 mil.

Leia outras notícias no Portal RSN.

 

 

Cristina Esteche

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo